Usando jogos para fortalecer laços

Publicado em: 15/05/2020
Publicado em: 15/05/2020

Se inscreva na nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos antes de todo mundo!

Como se conectar com seus filhos através de jogos?

 

Jogar e brincar é parte da natureza como um todo, seres humanos e diversos outros animais usam desses recursos com parte do seu dia a dia, mas por que todo mundo faz isso desde sua existência?

A chave é o engajamento e a diversão, esses dois pontos tornam o jogo motivador e, em certa medida, viciante. Jane McGonigal, revelou que, um jovem americano até os seus 21 anos, joga cerca de 10 mil horas, ou seja, uma carga quase igual ao seu currículo escolar (considerando da 5th grade até o HighSchool, algo como do nosso final do Anos Iniciais ao fim do Ensino Médio).

Mas 10 mill horas não é um número qualquer! Malcolm Gladwell, revela que essas horas são o tempo necessário para alguém se torne bom em alguma coisa, como comenta em seu livro Outliers. Com isso, podemos pensar: “Em que meu filho está se tornando bom quando joga? ”.

Procuramos nos esforçar para acompanhar a vida de nossos filhos e estar como auxílio nas grandes decisões da sua vida, compreender e guiar suas aprendizagens (esta última tarefa que é dividida com a escola), mas nós acompanhamos seus jogos?

Acompanhar é um verbo que significa estar junto, ou seja, não é supervisionar ou censurar algo, portanto, para sabermos o que o nosso filho aprende e como ele consegue se motivar com um jogo, devemos jogar com eles ou encontrar jogos que podemos jogar juntos e passar um tempo de qualidade, principalmente nesse momento de isolamento social.

Para conquistar essa conexão através de jogos, preparamos algumas dicas de jogos e ideias criativas.

Conheça seu filho cada vez mais!

Você já viu o que ele(a) está jogando? Tente participar ativamente disso. Atualmente os jogos estão sendo escolhas de interação social, portanto, podemos transformar nossa interação em casa usando desses mesmos elementos.  Caso não se sinta confortável, recomendamos olhar os jogos que estão com maior números de downloads e recomendações na “loja” do seu celular ou em um buscador na internet, assim você poderá ver o que está em alta. Tenha em mente que isso muda todo o tempo, logo, se prepare para sempre se atualizar.

Crie seus próprios jogos e brincadeiras

 Essa interação que acontece na hora de criar um jogo pode ser mais valiosa que o jogo em si. Para isso, existe um mundo de possibilidades! Vários artigos, livros e vídeos podem ser facilmente encontrados por aí, portanto, abra sua mente e pense em como criar uma experiência única em casa.

Ainda nessa pegada de criar o próprio jogo, que tal tornar a casa um grande ambiente de interação? Transforme os desafios do home office em uma brincadeira e jogo conjunto. Se quer ter seus momentos de reuniões calmos, construa com seu filho um card de “reunião importante do papai e da mamãe”, onde toda a brincadeira cria o senso de “não podemos atrapalhar o papai e a mamãe”. Para ver dicas de brincadeiras como essa, recomendamos ver o bate papo do Marcelo de Cristo com o Thiago Queiroz.

Brinque de adivinhação.

Usar de adivinhação, da relação entre imagem e ação ou até trabalhar o tato e força criativa de um desenho. Por exemplo, coloque um papel nas costas de alguém e esta pessoa, de frente para uma parede, deve colar um papel também. A ideia é replicar o desenho de maneira precisa somente ao sentir o traço do desenho no papel da suas costas. Imagine que aquele que chegar mais próxima do desenho original irá ganhar. Mas não se esqueça:

  • A diversão é mais importante do que quem ganha ou não, afinal jogar não é somente competir;
  • Faça um traço de cada vez no desenho, dando tempo para o outro jogador tentar replicar.

Não se esqueça do Video Game

Não veja isso como um afastamento tecnológico entre você e seu filho(a), mas sim como uma oportunidade de aprender algo novo (e saiba que as pessoas aprendem mais quando ensinam). Portanto, separe um momento do seu dia para estar com seu filho(a) na hora do video game – estando verdadeiramente presente.

Use o nosso book de atividades

Acesse aqui para baixar o nosso book de atividades em casa, onde encontrará elementos de jogos, atividades makers e vários outros pontos para se conectar com seu filho(a) neste momento.

Espero que aproveitem essas dicas e joguem bastante com seus filhos. Tenham em mente que um jogo é mais do que uma diversão, mas algo fantástico e mágico. Por isso, deixo uma passagem do livro Homo Ludens, de um dos grandes estudiosos do século XX, Johan Huizinga:

[…]mesmo em suas formas mais simples, ao nível animal, o jogo é mais do que um fenômeno fisiológico ou um reflexo psicológico. Ultrapassa os limites da atividade puramente física ou biológica. É uma função significante […] No jogo existe alguma coisa ‘em jogo’ que transcende as necessidades imediatas da vida e confere um sentido à ação.

 

Se usar algumas dessas dicas, bata uma foto e marque a @internationalschooloficial, vamos adorar ver o que estão fazendo.

Zé Lucas Fernandes é User Experience Architect na  International School e tem mais de 10 anos de experiência na área educacional, onde atuou como Professor, Coordenador Pedagógico e Editor de Conteúdo Pedagógico. Atualmente é Doutorando em Ciências da Educação, trabalhando com a relação entre gamificação e game design, assim como é Mestre em História e Cultura Medieval, com base na sua graduação em História. Possui também MBA em Gestão de Pessoas, especializações em Game Design pela Universidade de Michigan e User Experience pela USP e EBAC e é graduando em Jogos Digitais pela FIAP. Além disso, é fundador e Game Master da Pixel Boss, empresa voltada para formação e capacitação corporativa através de jogos e gamificação.

E ai, Gostou?
Se inscreva na nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos antes de todo mundo!

NO COMMENTS

DEIXE UM COMENTÁRIO